Visão
Ao ingressar em um novo milênio, a humanidade busca um futuro globalizado, o qual deve
necessariamente mostrar-se mais promissor. Contemplando a história humana coletiva, em seus
variados continentes e países, com sua multiplicidade de culturas, línguas e hábitos, fica evidente
que para a humanidade progredir, ela precisa fazê-lo como um todo unificado embora multicultural.

Para que a humanidade venha conhecer-se de forma mais completa, ela precisa aperfeiçoar a
interação entre seus povos. É com essa visão  que o IASB - Intercâmbio Acadêmico Sino-Brasileiro   
vem empenhando-se em trabalhar como ponte para estreitar as distâncias lingüísticas, geográficas e
culturais entre as diversas regiões do mundo.

O que, em última análise, determina o destino da humanidade é aquele produto mais sutil e criador
de nossa identidade: a idéia. Portanto, o intercâmbio de idéias entre culturas deve ser considerado
prioritário. Não obstante, para compreendermos as idéias geradas por uma cultura, faz-se necessário
que esses conceitos sejam contextualizados, levando-se em consideração os hábitos culturais, os
padrões lingüísticos e as intenções humanísticas. Se uma idéia for transmitida fora do contexto, ela
se torna um pensamento vazio. Enquanto as telecomunicações e a Internet têm dado largos passos
em direção ao estreitamento das distâncias existentes entre os diferentes grupos da humanidade,
não há, jamais houve e nunca haverá um substituto para a interação direta e pessoal.

Muito tem sido proferido e escrito acerca das diferenças, e até mesmo das semelhanças, entre o
Oriente e o Ocidente. No entanto, é válido irmos além da idéia de simplesmente sermos orientais ou
ocidentais. Temos, no presente momento, a oportunidade para avançarmos em direção a uma
humanidade universalizada, que possua uma compreensão abrangente e profunda de si mesma,
sem fronteiras, sem preconceitos, destituída de animosidade. O fato de apreciarmos outras culturas
como expressões distintas do que é o “ser humano”, nos possibilita acrescentar à nossa visão outras
dimensões da maneira pela qual somos humanos.

O IASB, apesar de representar dois países, em princípio e em essência, engloba dois aspectos
hemisféricos da humanidade, os quais anseiam pela aproximação mútua. A China e o Brasil são
nações em desenvolvimento, posicionadas em lados opostos de um planeta compartilhado.
Entretanto, apesar da grande distância geográfica entre eles, esses dois países possuem muito em
comum em seus interesses, intenções e futuros.  O IASB vêm trabalhando, e continuará assim
fazendo, em prol de uma compreensão maior entre culturas, uma afinidade e harmonia
intercontinental mais ampla e, por fim, um mundo unido.